Acesso a Informação:
     

Filie-se ao Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná



"Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca)
-Interna

Notícias

Fenapef discute fake news e segurança pública em entrevistas no Maranhão

13/04/2018

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens, participou, nesta sexta-feira (13), de uma rodada de entrevistas para TVs e rádios do Maranhão sobre segurança pública. O assunto principal foi o combate às chamadas fake news e demais crimes virtuais, que vêm crescendo no Brasil.
Para o presidente da entidade, o período eleitoral pode aumentar o número de crimes cibernéticos. Desde fevereiro deste ano, a PF está agindo em parceria com o Federal Bureau of Investigation (FBI) para investigar e combater a propagação de notícias falsas na internet contra candidatos a cargos eletivos.
“Essa é mais uma atribuição dada à Polícia Federal, trazendo uma expertise que permitiu essa parceria com o FBI. E esse ano é propício para esses crimes. Vai ser uma campanha diferenciada e as polícias, não só a Federal, têm que estar preparadas para fazer esse tipo de combate”, alertou Boudens.
Recentemente, a Lei nº 13.642, de 2018, também atribuiu à PF a responsabilidade de investigar crimes virtuais contra mulheres que difundam conteúdo misógino, isto é, de ódio ou de aversão ao público feminino. “Essa é uma conquista para as mulheres”, ressaltou o presidente.
Boudens também comentou sobre o modelo de investigação “arcaico” do Brasil, o que impede, segundo ele, uma maior eficiência por parte das polícias. “A criminalidade cresceu e a nossa legislação não se adequou a isso. A gente vem buscando um modelo mais adequado, como o do FBI, para manter os policiais motivados. Mas ainda há muito o que ser feito na estrutura interna”, reconheceu.

Acesse aqui a entrevista para ao Bom Dia Mirante.
 
Comunicação Fenapef