Acesso a Informação:
     

Filie-se ao Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná



"Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca)
-Interna

Notícias

Pesquisa desenvolvida por Papiloscopista Policial Federal repercute internacionalmente

01/09/2017


O papiloscopista capixaba da Polícia Federal e doutorando em Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Carlos Magno Girelli, desenvolveu em sua tese de doutorado uma pesquisa que aborda a revelação de impressões digitais em cartuchos de munição deflagrados.
Para apresentar os resultados de sua pesquisa, Carlos participou do 14º Congresso Brasileiro de Identificação e Biometrics Hitech, realizado de 29 a 31 de agosto, no Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, em Brasília (DF).
O policial federal explica que o principal objetivo da pesquisa é de “orientar os peritos em impressões digitais do Brasil e do mundo ao processar cartuchos visando à identificação de suspeitos”. Após várias análises de amostras e comparação das impressões digitais coletadas, o papiloscopista identificou uma sequência de técnicas para o processamento de cartuchos que apresentaram resultados estatisticamente superiores. Além disso, também desenvolveu um dispositivo e método para fotografia de impressões digitais em cartuchos, tendo em vista tal atividade apresentar dificuldades adicionais aos peritos.
“A ideia da pesquisa é propor uma metodologia para revelação e fotografia de impressões latentes em cartuchos de munição. Essas pequenas evidências estão geralmente relacionadas a crimes graves como homicídios e possuem elevado valor probatório em juízo. Desde o início da aplicação dos métodos pela Polícia Civil do Espírito Santo, com quem mantemos uma saudável parceria, já revelamos diversos fragmentos em condições de confronto, sendo que um deles inclusive resultou na identificação de suspeito, fato até então inédito no Brasil”, explicou Girelli.
Sabe-se que no mundo inteiro não há um padrão para obter bons resultados referentes à identificação de impressões digitais em cartuchos deflagrados, por isso, “a pesquisa é tão importante, pois a partir de agora temos um trabalho que preenche esse espaço, até então vazio”, salientou o policial.
Com o reconhecimento internacional, a pesquisa de Girelli ganhou destaque por possuir um alto grau de complexidade e apresentar resultados inéditos. Entre os veículos internacionais mais renomados, podemos destacar a revista Forensic Science International, em que Carlos publicou diversos artigos sobre a pesquisa.
Girelli também participará do Encontro do Grupo Internacional de Pesquisa em Impressões Digitais (IFRG – International Fingerprint Research Group), que ocorrerá na China em outubro, e para isso contará com o apoio do SINPEF/ES – Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo. O evento, que recebe só convidados, reunirá os maiores pesquisadores do mundo na área. O policial federal é o primeiro papiloscopista da América do Sul a se tornar membro do IFRG, tendo participado e apresentado dois trabalhos na edição anterior ocorrida na Índia em 2015.
Também em 2015, o pesquisador participou do maior e mais importante evento sobre identificação, a 100ª Conferência Internacional da Associação Internacional para Identificação (IAI – International Association for Identification), realizada nos Estados Unidos. Durante a conferência, o trabalho de Carlos foi escolhido para ser apresentado aos participantes do evento pelo Dr. Robert Ramotowski, do Serviço Secreto dos Estados Unidos, um dos maiores especialistas em impressões digitais.
Sobre o 14º Congresso Brasileiro de Identificação e Biometrics Hitech
O evento internacional contou com uma programação diversificada, com 11 diferentes atrações que trouxeram novidades para o setor,  com o objetivo de: contribuir para o fortalecimento e aprimoramento da identificação humana no Brasil; divulgar trabalhos e estudos desenvolvidos por especialistas brasileiros em papiloscopia e identificação humana; discutir os processos de identificação no país; apresentar novas soluções e tecnologias; promover o intercâmbio de conhecimentos sobre biometria, tendências, estudos de casos e melhores práticas; intensificar a aproximação dos setores público e privado e promover novas oportunidades de negócios para provedores de tecnologia e importantes mercados consumidores de soluções de identificação humana.
Para o Vice-presidente da Federação Nacional dos Peritos em Papiloscopia e Identificação e a (FENAPPI) e presidente da Associação Brasiliense de Peritos Papiloscopistas (ASBRAPP), Rodrigo Menezes, “o evento é importante para mostrar as novas tecnologias na área de identificação humana, de biometria, impressões digitais, identificação pela face, palmares, plantares entre outros. Destacamos que acima de tudo o mais relevante é a troca de experiência entre os diversos profissionais reunidos nesse evento”
Fonte: Agência Fenapef