Acesso a Informação:
     

Filie-se ao Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná



"Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca)
-Interna

Notícias

Governo não vai mudar diretor da PF, diz ministro da Justiça

07/06/2016

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou nesta segunda-feira, 6, que o governo não tem intenção de substituir o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. “ Obviamente não se discute nomeação quando o cargo não está vago. O cargo está preenchido, por um belíssimo e competente profissional”, disse.

Na semana passada, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) elegeu uma lista tríplice para levar ao presidente em exercício Michel temer. A Associação quer que o peemedebista escolha um dos nomes para assumir a direção-geral da PF, cargo ocupado por Daiello desde 2011.

A delegada Erika Mialik Marena, que integra a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, foi eleita em primeiro lugar, com 1065 votos. Ela é considerada uma delegada linha dura, que não deixaria a investigação sobre o esquema de corrupção da Petrobrás esmorecer.

Também integram a lista tríplice o delegado Rodrigo de Melo Teixeira, que ficou em segundo lugar, com 924 votos, e em terceiro, Marcelo Eduardo Freitas, com 685. Ambos atuam na PF em Minas Gerais.

A indicação do Chefe da PF por lista tríplice é uma das bandeiras dos delegados federias. Para eles o modelo de escolha contribui para o fortalecimento da instituição, meta prevista em uma Proposta de Emenda Constitucional que prevê autonomia à PF.

A FENAPEF já se pronunciou contrária à lista tríplice organizada pela associação dos delegados federais porque além de inconstitucional, não há legitimidade da Associação de Delegados – ente privado, que não tem representatividade sobre todos os cargos do órgão – para escolher Diretor Geral da PF.  

Veja a Nota na íntegra


Estadão