Acesso a Informação:
     

Filie-se ao Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná



"Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca)
-Interna

Notícias

CAMPANHA DA VACINAÇÃO 2016: filiados e dependentes terão subsídio nas vacinas

24/03/2016

O SINPEF-PR, à exemplo de anos anteriores, está iniciando a campanha da vacinação contra a gripe Influenza (A e B), visando atender seus filiados e dependentes. 

A aplicação das vacinas será feita pela Clínica Paciornik e funcionará da seguinte forma: filiados interessados devem entrar em contato com o SINPEF-PR, através do fone 3252-5217 ou pelo email sinpefpr@sinpefpr.org.br e solicitar a AUTORIZAÇÃO para a vacinação, indicando quem serão os interessados. Com essa autorização, o subsídio de 50% do valor total será pago pela entidade e os 50% restantes serão pagos pelo filiado no ato da vacinação. 

O valor acordado com a Clínica é de R$ 60 para a vacina trivalente e R$ 65 para a quadrivalmente, ficando à critério do interessado a opção por uma ou outra.
Ou seja, o interessado pagará R$ 30 ou R$32,50 por aplicação. 
 
SERVIÇO: Centro de vacinação Clinica Paciornik
R. Lourenço Pinto, 65 - Centro, Curitiba - PR, 80160-010
www.facebook.com/clinicapaciornik
centrodevacinas@clinicapaciornik.com.br
(41) 3015-2015 / (41) 3015-9898
 
 
OBS: * doses limitadas conforme a disponibilidade da Clínica. 


Saiba mais sobre as vacinas:

Gripe 2016 - Já está acontecendo!
 
Este ano, desde janeiro,  já ocorreram 11 óbitos causados pela gripe, no Noroeste de São Paulo
O vírus Influenza tipo A [H1N1], foi o responsável pelas mortes, que aconteceram.
 
Estaremos recebendo a vacina contra a Influenza, a trivalente no final de março e a quadrivalente na primeira semana de abril.

As duas vacinas tem em sua composição as cepas do Influenza tipo A -  H1N1, e cepas do tipo B..
 
As vacinas são a defesa mais efetiva  [estimula a formação de anticorpos específicos] contra a Gripe.
Mas  as medidas higiênicas não podem ser esquecidas e  devem ser implementadas sempre para diminuir o risco de contágio [prevenção secundária]

Transmissão

Pode se dar de 2 formas:
• Transmissão direta: através das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada à outra ao falar, respirar, espirrar ou tossir;
• Transmissão indireta: por meio das mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um infectado, podem carrear o agente infeccioso diretamente para a boca, nariz e olhos.
• A transmissão direta de pessoa-a-pessoa é a mais comum, mas já foi documentada a transmissão direta do vírus influenza de aves e suínos para o homem.
• O período de em que a pessoa pode transmitir a doença geralmente é de 2 dias antes até 5 dias após o inicio dos sintomas, no entanto crianças e indivíduos imunocomprometidos podem eliminar o vírus por um período mais prolongado.


Medidas para evitar a propagação da Gripe

• Higiene das mãos com água e sabão (depois de tossir ou espirrar, depois de usar banheiro, antes de comer, antes de tocar os olhos, a boca e o nariz);
 • Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com pessoas infectadas;
• Usar lenço de papel descartável;
• Proteger com lenço a boca e o nariz ao tossir ou ao espirrar, para evitar disseminação de aerossóis;
• Evitar aglomerações e ambientes fechados na época da circulação dos vírus (deve-se manter os ambientes ventilados);
• Restrição ao ambiente de trabalho, creches e escolas quando estiver com gripe para evitar disseminação;
• Limpeza das superfícies, pois o vírus se mantém nos locais.
 

Devo tomar a vacina contra a gripe mesmo se fui vacinado contra (H1N1) pandêmico?

Sim. Você precisa tomar a vacina mesmo se você foi vacinado a temporada passada. A vacina contra a gripe é atualizada pela O.M.S, para oferecer proteção contra os vírus que apresentam maior circulação nas populações afetadas. O ano passado o vírus prevalente foi do tipo B, e este ano já estamos vendo a ação do Influenza H1N1.

 Qual a diferença  entre o Resfriado e a Gripe?

A gripe e o resfriado são doenças respiratórias, mas eles são causados por vírus diferentes e apresentam quadro clínico diferente. O resfriado é mais brando que a gripe e dura de 2 a 4 dias. Ele apresenta sintomas relacionados as vias aéreas superiores, como congestão nasal (coriza), tosse, rouquidão. A febre é menos comum do que a gripe, e quando presente é de baixa densidade. Outros sintomas também podem estar presentes, como mal-estar, dores musculares e dor de cabeça. Resfriados em geral, não resultam em problemas de saúde graves como pneumonia, infecções bacterianas ou internações.
 
Sintomas

Os primeiros sintomas costumam aparecer cerca de 24 horas depois do contágio e podem incluir: febre (geralmente maior que 38ºC); dor de cabeça; calafrios; prostração (fraqueza); tosse seca; dor de garganta; espirros e coriza.
Diferente dos tempos antigos, em que gripe se tratava com a recomendação da vovó, aspirina, chá e cama, hoje com a gravidade das complicações é importante procurar o serviço médico nas primeiras 48 horas.

Quais os cepas atuantes nas vacinas de 2016?

Neste ano as cepas presentes nas vacinas são:

Trivalente:
um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1) pdm09
um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2)
um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008

Quadrivalente
um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1) pdm09
um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2)
um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008
um vírus similar ao influenza B/Phuket/3073/2013

As cepas das vacinas utilizada no país são atualizadas anualmente para garantir a proteção contra os tipos de  gripe que estão em circulação no mundo. 
 
Quando devo tomar a vacina contra influenza?

Anualmente, de preferência o quanto antes, uma vez que o maior risco de exposição ao vírus influenza ocorre nos meses de inverno.
 
Quais as reações que a vacina pode causar?

A vacina é bem tolerada. As reações que podem ocorrer são leves. As mais comuns são: dor, vermelhidão e enduração no local da aplicação, que ocorrem nas primeiras 72 horas após a vacinação.



 
As epidemias de 2016 no Brasil

Este ano começamos com o aumento da Dengue,  a do Zika Vírus, e da Chikungunya.

A epidemia do Zika vírus está sendo considerada a  mais grave que​ já ​ aconteceu no Brasil. 

Afora os vírus acima​, já ocorreram 11 casos de mortes causadas pela gripe​.

O vírus causador foi o Influenza H1N1[tipo A].
​As mortes ocorreram até o mês passado no Noroeste do estado de São Paulo.​

Tanto a Dengue,​ o ​ Zika Vírus, a Chikungunya (​"​aqueles que se dobram pelas dores nas articulações​"​)​ e​ a febre amarela, infectam o mosquito Aedes aegypti que por sua vez são os vetores para os humanos.

Oswaldo Cruz, em 1880 iniciou o combate as larvas do Aedes, quando criou as "Brigadas Mata Mosquito", limpando calhas, telhados, exigindo proteção de caixa d' águas. Colocavam petróleo em ralos e bueiros e combatiam criadouros de larvas.

Em 1903 a febre amarela foi considerada erradicada do Brasil. Em 1937 foi disponibilizada a vacina contra a febre amarela.
Com a erradicação da febre amarela, e o desaparecimento do Aedes em 1955 em nosso meio,  houve descaso dos governos da América com a saúde pública e o controle dos focos dos mosquitos foi esquecido. O mesmo aconteceu com a malária.

O Aedes aegypti vem se adaptando velozmente e acompanha a urbanização. Seus ovos são encontrados nos esgotos e águas paradas.

Alguns relatam que as bromélias também são foco do mosquito. Porém em estudos realizados pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC) juntamente com o Jardim Botânico do Rio de Janeiro [2007], foi constatado que as bromélias não são um risco para a propagação do mosquito Aedes aegypti.

Neste estudo foram encontrados duas larvas do mosquito Aedes aegypti e  5 larvas do mosquito Aedes albopictus. Isso se deve ao fato de no interior do reservatório das bromélias haver um suco biológico repleto de organismos, tornando o ambiente desfavorável para a criação das larvas do Aedes.

​ Mas o Aedes aegypti está mostrando um grande poder de adaptação aos mais variados lugares.​

O mosquito veio para a América com o tráfico de escravos da África.
Sem o controle sanitário, a dengue veio aumentando em todo o Brasil tornando-se epidêmica, seja em São Paulo capital, Norte do Paraná, Foz do Iguaçu e Paranaguá que desde o começo do ano até fevereiro já haviam ocorrido 11 mortes.

A boa noticia é que o laboratório Pasteur já tem liberado uma vacina contra o vírus da Dengue, que estará disponível no nosso Centro de Vacinação da Clinica Paciornik a partir de Junho deste ano.

O Zika Vírus, que a OMS classificou como nível de alerta grave como o Ebola vírus, é a pior epidemia que aconteceu no Brasil. De inicio achava-se que fosse benigna​.
​ 
​H​oje se expandiu por toda a América Latina. Pessoas que aqui estiveram, levaram-na até outros continentes como a Rússia.
O Zika Vírus infecta o sistema nervoso e está fortemente relacionado com a microcefalia nos recém-nascidos. 

Sob o estimulo da OMS e dos governos, esforços se concentram para desenvolver uma vacina, que é a prevenção primária e efetiva.
Normalmente o processo para se chegar ao uso de uma vacina nova leva 20 anos. Espera-se que consigam uma vacina contra o Zika Vírus em 1 ano.


Numero de casos das epidemias de 2016

  
Doença Transmissor Numero aproximado de casos Vacina Numero de mortes
Gripe Secreções 84 casos de gripe nas 7 primeiras semanas de 2016. No mesmo período de 2015 nenhum caso avia sido registrado. Trivalente – Final do mês de março
Quadrivalente – metade do mês de Abril
11 óbitos na região Noroeste paulista por Influenza do tipo A (H1N1)
Dengue Aedes aegypti eAedes albopictus Casos de Dengue disparou nas primeiras cinco semanas de 2016 e atingiu a marca de 170 mil casos até 6 de fevereiro. No Paraná foram confirmados 10.663 casos. Previsão de chegada para Junho 2016. 15 óbitos confirmados no Paraná (11 Paranaguá, 12 Foz Iguaçu, 1 Antonina, 1 Curitiba)
Zika vírus Aedes aegypti Pelas estimativas da OMS, entre três e quatro milhões de pessoas vão ser infectadas pelo Zika vírus, nas Américas, em 2016. No Paraná são 111 casos de Zika Vírus confirmados. Não tem O Brasil tem 3174 casos suspeitos de microcefalia causado pelo Zika Vírus.
3 óbitos confirmados em 2015.
Febre Chikungunya Aedes aegypti O número de infectados pela Chikungunya chegaram a 20.662 em 2015. No Paraná foram confirmados 28 casos em 2016. Não tem 3 óbitos confirmados em 2015, 2 na Bahia e 1 no Sergipe.
Febre Amarela Aedes aegypti eAedes albopictus No ano de 2015 foram confirmados 13 casos de febre amarela no Brasil. Vacina contra Febre Amarela desde 1937 1 óbito. RN investiga morte por febre amarela em 1° caso urbano após 73 anos











 
 
Transmissão

A principal transmissão da Dengue​, Chikungunya e Zika vírus se dá mediante a picada do mosquito Aedes Aegypti.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que a contaminação do Zika vírus pela relação sexual é mais comum que o esperado. Além disso, também há a transmissão intrauterina, de mãe para filho. Já em Campinas foi relatado um caso de transmissão deste vírus mediante a transfusão de sangue.
 
 
 
Como se proteger?

As vacinas que são a prevenção primária e efetiva ​existem contra a Influenza (A e B), a febre amarela, e contra a Dengue a partir de ​junho.​

Seguir o que  Oswaldo Cruz fez há​ 2 séculos atrás combatendo os locais em que os mosquitos proliferam é o melhor exemplo que temos.

Há dois séculos atrás não existiam inseticidas e o Brasil foi vitorioso, tendo eliminado a febre amarela, antes mesmo do surgimento da vacina.

É trabalho de ​educação de toda a nossa população.​
 
 
 
 
Fontes:
http://www.brasil.gov.br/saude/2016/01/saiba-mais-informacoes-sobre-a-vacina-da-dengue-1
http://g1.globo.com/bemestar/blog/doutora-ana-responde/post/vacina-contra-dengue-esclarecendo-duvidas.html
http://www.fiocruz.br/ioc/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=182&sid=32
http://revistagloborural.globo.com/Cidades-Verdes/noticia/2015/09/bromelias-sao-imunes-ao-mosquito-da-dengue.html
http://mulher.uol.com.br/casa-e-decoracao/noticias/redacao/2013/01/11/faceis-de-manter-bromelias-sao-lindas-e-nao-atraem-mosquito-da-dengue.htm
http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=bromelias-nao-focos-vetores-dengue-garantem-cientistas
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/12/151211_brigadas_mata_mosquitos_rj_lgb
http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=114&sid=7
http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/rpas/v2n1/v2n1a02.pdf
http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/febre-amarela-doen%C3%A7a-e-vacina-uma-hist%C3%B3ria-inacabada
http://www.opovo.com.br/app/opovo/cotidiano/2015/12/28/noticiasjornalcotidiano,3554454/poder-de-adaptacao-do-aedes-aegypti-dificulta-combate.shtml
http://epoca.globo.com/vida/noticia/2016/02/cuidado-o-aedes-aegypti-tambem-consegue-se-reproduzir-em-agua-suja.html
http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/02/sobe-de-6-para-11-o-n-de-mortes-por-dengue-no-parana-aponta-saude.html
http://www.dengue.pr.gov.br/arquivos/File/Dengue_Informe_Tecnico_14_2015_2016_novo.pdf
http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/29/2016-006---Dengue-SE5-publica----o.pdf
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/03/1747654-oms-ve-situacao-alarmante-na-transmissao-do-virus-da-zika.shtml