Acesso a Informação:
     

Filie-se ao Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná



"Os homens podem dividir-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa e os que vão atrás a criticar." (Sêneca)
-Interna

Notícias

Pela eficiência, eficácia e efetividade dos procedimentos policiais

31/03/2015

O inquérito policial é um procedimento inquisitivo e por isso não permite o contraditório e a ampla defesa, então o que nele for dito precisa ser repetido na justiça para ter validade. Nem a confissão do investigado na fase do IPL serve, se não for ratificada na fase judicial. Faltaeficácia nos objetivos.
 
O que sobra do IPL para ser aproveitado na ação penal são os dados colhidos pela investigação propriamente dita, realizada pelos agentes de investigação (EPAS), como o levantamento de elementos e circunstâncias do crime, o levantamento de dados e informações, a perícia papiloscópica, bem como os laudos dos peritos. Reflete a efetividadena investigação.
 
O inquérito policial é um modelo de investigação falido e permanece em uso por favorecer interesses de cargos, em detrimento do interesse público.
 
O papel da polícia é apurar crimes e deve ser realizado com eficiência, eficácia e efetividade. Para isso, basta dar prioridade ao trabalho de investigação (fim) e eliminar a burocracia do processamento por meio do inquérito policial (meio).
 
A sociedade precisa de segurança pública e esta precisa de mais policiais investigando do que processando em papeis o que for apurado.
 
Uma simples mudança de rotina administrativa pode revolucionar a segurança pública do país, aproximando a polícia brasileira da excelência que é praticada em diversos países desenvolvidos do mundo.
 
Por Magne Cristine, Escrivã de Polícia Federal lotada na Superintendência Regional da Polícia Federal em Pernambuco e associada à ANEPF.